A Citologia Clínica e o rastreio das neoplasias: um casamento de sucesso

A citologia clínica é a área da patologia clínica que estuda as células das diversas áreas do organismo e suas possíveis patologias. São diversas as etiologias dos processos patológicos das células, porém o diagnóstico citológico possui uma importância fundamental no diagnóstico precoce de patologias malignas, além de ser importante na diferenciação entre processos benignos e malignos, sendo de grande relevância na prática clínica.


O exame citopatológico, caracteriza e classifica as doenças a partir da observação ao microscópio de células obtidas por esfregaços, aspirações, raspados, centrifugação de líquidos e outros métodos.


A citologia clínica também atua no rastreio de neoplasias, área que tem tido destaque e se mostra como promissora. Para falar sobre o assunto, convidamos o farmacêutico bioquímico Paulo Pedro Nascimento, coordenador da Pós-Graduação em Citologia Clínica do Instituto GPI, e você confere a partir de agora o nosso bate-papo:

Dr. Paulo Pedro coordenador da Pós-Graduação em Citologia Clínica do Instituto GPI


VAMOS COMEÇAR FALANDO DA CITOTOLOGIA CLÍNICA...FALA PRA GENTE DA SUA PAIXÃO POR ELA E DA IMPORTÂNCIA DESSA ÁREA...


Quando comecei a estagiar um amigo sugeriu que eu fizesse uma Pós-Graduação em Citologia Clínica. E ao cursar essa disciplina na graduação eu percebi que eu tinha muita afinidade. No princípio, tive dificuldade para entrar no mercado de trabalho, porque ele era muito fechado, mas consegui trabalhar e viver cada dia diferente que a citologia nos proporciona.


É UMA ÁREA AMPLA, NÉ?


É uma área que está dentro do ramo das análises clínicas que engradece essa área, pois além de toda a pesquisa laboratorial que fazemos com os pacientes, podemos ainda fazer uma pesquisa oncológica, então podemos atuar nessas duas vertentes.


Uma parte que está em alta é a da fertilização e citologistas têm trabalhado bastante nisso, seja realizando espermogramas em laboratório ou participando dos processos de fertilização in vitro. Citologistas também podem atuar no controle de qualidade.


COMO ESTÃO OS AVANÇOS TECNOLÓGICOS NA ÁREA DA CITOLOGIA CLÍNICA?


Todos os ramos laboratoriais têm avançado muito na parte tecnológica e na citologia não foi diferente. Olhando para trás, há muitos anos atrás, os pesquisadores não tinham um microscópio para analisar células. Com o avanço da microscopia, começamos a ganhar uma visualização de comportamentos e alterações celulares.


Hoje temos vários tipos de microscópios que permitem a gente avaliar e descrever toda a morfologia celular baseado em critérios. Paralelo a isso, temos técnicas aplicadas na citologia que auxiliam no diagnóstico do avanço da investigação oncológica.


Os grandes laboratórios têm, inclusive, equipamentos de automação em que eles preparam lâminas inteiras e confeccionam lâmina com camadas de células perfeitas para visualização e capturam imagens. Tem muita coisa nova no mercado.


EM RELAÇÃO ÀS NEOPLASIAS, O QUE SÃO E COMO ELAS OCORREM?


Neoplasia é uma proliferação desordenada de células no organismo, formando, assim, uma massa anormal de tecido. Pode ser classificada como benigna ou maligna. A neoplasia benigna tem, geralmente, crescimento lento, ordenado e apresentando limites definidos. A neoplasia maligna, também conhecida como câncer, de forma geral, tem um crescimento mais rápido, as células não apresentam diferenciação e invadem tecidos vizinhos.


A citologia trabalha no rastreio, buscando identificar alguma alteração citológica que possa, no futuro, levar a um câncer. É uma medida que trabalha na atividade preventiva. É até mais barato trabalhar na prevenção do que no tratamento. Quando detectamos uma possível lesão, e a pessoa remove a área afetada, temos grandes possibilidades de cura e o paciente poderá viver tranquilamente.


EXISTEM FATORES DE RISCO PODEM CONTRIBUIR PARA O DESENVOLVIMENTO DE NEOPLASIAS?


Existem sim, por exemplo, o início precoce da atividade sexual é um fator. Uma mulher que tem múltiplos parceiros, o HPV não cuidado também pode gerar alguma neoplasia e o tabagismo também é um fator de risco.


COMO A PÓS-GRADUAÇÃO EM CITOLOGIA CLÍNICA TEM PREPARADO OS ALUNOS DO GPI?


Temos vários profissionais citologistas, mas profissionais que assinam laudos, trabalham no ramo, são poucos. Então temos que trazer a ideia de que o mercado precisa deles.


Nosso Piauí, por exemplo está muito carente de profissionais da área. Quando pensamos nessa Pós-Graduação, já começamos desenhar o que precisaríamos oferecer para atender essa demanda local e regional para que nossos alunos ocupassem esse espaço.


Cada módulo foi pensado no intuito de favorecer essa preparação e direcionamos o curso para o nosso local. Assim, direcionamos nosso aluno às pesquisas do câncer ginecológico. Nosso curso tem uma ênfase na citologia ginecológica, carro chefe da nossa região.

Queremos oferecer o melhor curso aos alunos para que eles se sobressaiam no mercado de trabalho.


No vídeo abaixo, assista a entrevista na íntegra sobre "A Citologia Clínica e o rastreio das neoplasias: um casamento de sucesso " Por Nehemias Lima - Jornalista.