Anemia e fatores associados são discutidos na pós-graduação em Hematologia

Todo mundo já ouviu falar da anemia. Trata-se de uma condição caracterizada pela queda no conteúdo de hemoglobina, o pigmento que dá cor aos glóbulos vermelhos no sangue. Isso pode ocorrer pela carência de um ou mais nutrientes essenciais, como ferro (de longe o mais comum), zinco, vitamina B12 e proteínas. Também pode ser consequência da perda de sangue ou de diferentes doenças ou condições adquiridas ou hereditárias.


Os glóbulos vermelhos, também chamados de hemácias ou eritrócitos, têm a nobre função de transportar oxigênio dos pulmões para todas as células do corpo. Daí que, com pouca hemoglobina, todo o organismo fica deficitário, embora o sofrimento seja mais pronunciado para músculos, coração e sistema nervoso central.


O assunto foi pautado durante a aula do módulo de Avaliação das anemias e seus fatores associados da Pós-Graduação em Hematologia Laboratorial do Instituto GPI. Aproveitamos o intervalo da aula para conversar com o professor Marcos Fleury, ministrante do módulo, farmacêutico e bioquímico pela UFRJ, mestre e doutor em genética humana pela mesma instituição, coordenador da Comissão Científica do Congresso Brasileiro de Análises Clínicas – SBAC, assessor científico do PNQC na área de hematologia e também atua como professor associado de Hematologia na Faculdade de Farmácia da UFRJ. Confira o nosso bate-papo rápido, porém enriquecedor:

Dr. Marcos Fleury professor da pós-graduação em hematologia laboratorial do Instituto GPI


DR.FLEURY, COMO FORAM ESSES DIAS DE MÓDULO SOBRE ANEMIAS COM A TURMA AQUI NO PIAUÍ?


Os alunos são incríveis. Temos utilizado a apresentação da classificação das anemias e colocando os principais causas e fatores, tentando estimular o entendimento da fisiopatologia, fazendo com que eles entendam os processos patológicos e não decorem as situações. Isso está tendo um bom efeito. Eles têm gostado bastante, participado das aulas de maneira ativa, perguntando e tirando dúvidas. Certamente uma contribuição mútua, para todos nós.


COMO AS TECNOLOGIAS VOLTADAS PARA HEMATOLOGIA ESTÃO SENDO APRESENTADAS NESTE MÓDULO?


Temos uma série de tecnologias novas que estão sendo empregadas na análise das amostras hematológicas e temos trazido essas novidades para cá para facilitar a vida das pessoas, do aluno, daqueles profissionais que estão na à frente da bancada do laboratório.


Trazemos essas novidades de uma forma clara e simples, tentando popularizar essa situação mais tecnológica e moderna para quem está no dia a dia do trabalho. Conversando com eles, apresentamos o que está em alta, quais os aparelhos de ponta recém lançados e compartilhamos nossas rotinas diárias.


VOCÊ ACREDITA QUE JÁ ESTAMOS VIVENCIANDO O FUTURO DA HEMATOLOGIA?


Sim, já estamos vivendo uma boa parte desse futuro. Logicamente, não podemos prever o que acontecerá semana que vem ou mês que vem, mas já estamos colhendo frutos dessa tecnologia de forma muito rápida.


Os aparelhos estão à nossa disposição de maneira muito rápida. Temos que estar sempre nos atualizando, pois sempre são lançadas novidades no mercado, relacionadas à hematologia.


VOCÊ TEM ACOMPANHADO O AVANÇO DESSAS TECNOLOGIAS. O QUÃO VELOZ ELE TEM SIDO?


Essas tecnologias têm chegado e sido utilizadas muito mais rapidamente do que há 20 ou 30 anos atrás, quando essas tecnologias tinham um tempo de implantação muito grande.

Hoje em dia, após o lançamento, rapidamente os aparelhos estão à disposição dos profissionais em um tempo bem mais curto.


E QUEM NÃO SE ESPECIALIZA E ESTUDA FICA DE FORA, CERTO?


Com certeza. É preciso se aprimorar, estar por dentro, pesquisar o que está sendo discutido atualmente. A velocidade com que essas novidades aparecem é cada vez maior e o profissional de laboratório deve ficar mesmo antenado a essas atualizações e novidades senão realmente ele ficará para trás.


No vídeo abaixo, assista a entrevista na íntegra sobre "Anemia e fatores associados são discutidos na pós-graduação em Hematologia" Por Nehemias Lima - Jornalista.