Anemia Perniciosa: conceito, causas, sintomas e tratamento

Anemia perniciosa é um dos tipos de anemias megaloblásticas, logo, hipocrômicas porém macrocíticas. Como de praxe nas principais anemias, há redução no número de eritrócitos e da hemoglobina presente nos mesmos. O grande diferencial de uma anemia megaloblástica consiste em seus valores de hematócrito, que costumam manter-se próximos aos valores de normalidade, já que o elevado volume celular dos glóbulos vermelhos mascara a baixa quantidade em números dos mesmos.





Causa

Esta anemia possui uma causa também diferente das anemias causadas pela deficiência direta da hemoglobina e seus componentes e correlatos. Na anemia perniciosa, o indivíduo sofre com a falta de vitamina B12, porém, essa condição só corresponde à anemia perniciosa quando a carência de vitamina B12 está diretamente relacionada com a má absorção gastrointestinal da mesma.


A vitamina B12 é absorvida pelo trato gastrointestinal diretamente nas microvilosidades presentes na mucosa do sistema digestório com o auxílio de uma proteína especial, considerada um fator intrínseco da absorção de vitaminas em nosso organismo. Possui diversas causas patológicas,como a gastrite atópica, que consiste no enfraquecimento da mucosa gástrica e de sua proteção contra o ácido produzido neste órgão, o que leva à deterioração da mucosa estomacal e perda das condições ideais de absorção da vitamina.


Outras doenças gastrointestinais envolvem a doença celíaca, doenças hereditárias, além de pacientes que tenham realizado cirurgia bariátrica e perderam parte de seu estômago.

Em gestantes, dietas pobres em vitamina B12 ou deficiências no sistema de absorção, podem levar à formação de bebês com anemia perniciosa congênita, que os leva à não produzirem o fator intrínseco e também terem dificuldade na absorção da vitamina. Alguns estudos relatam também que a deficiência de vitamina B12 em bebês pode estar relacionada com o surgimento de doenças autoimunes, que são doenças causadas pelo próprio sistema imunológico do indivíduo que passam a atacar células de determinados órgãos.


A deficiência de vitamina B12 causada por falhas em sua absorção atinge principalmente a parcela adulta da população, acima de 35 anos, estando relacionados aos problemas de saúde supracitados, que em sua maioria, manifestam-se a partir desta idade, a depender do estilo de vida de cada indivíduo.


A vitamina B12 é muito importante no processo de maturação celular de toda a linhagem linfóide e mielóide do sangue. Nos glóbulos vermelhos, é responsável pela maturação celular e redução do citoplasma. Em sua deficiência, o citoplasma não matura deforma correta, mantendo seu tamanho mesmo após a expulsão do núcleo. O resultado são eritrócitos imaturos de volume celular elevado e com quantidades de hemoglobina insuficientes para o tamanho celular.


Sintomas

Enquanto alguns casos possam ser assintomáticos, indivíduos acometidos com anemia perniciosa podem sofrer sintomas brandos ou moderados, que geralmente se assemelham aos sintomas gerais das anemias. Fraqueza, fadiga e palidez, adinamia ou até mesmo o baixo desenvolvimento cognitivo e físico incluem o rol dos sintomas padrão das anemias carenciais, que provocam a formação de eritrócitos defeituosos, algumas vezes, não funcionais.


Por outro lado, por estarem relacionados à problemas oriundos do trato gastrointestinal, podem apresentar sintomas relacionados a esses sistemas, como diarréia, constipação, náuseas, vômitos, dificuldades de respiração. O paciente pode acabar tendo o diagnóstico em um check-up de rotina, já que é uma condição que não apresenta sinais e sintomas imediatos, apenas à longo prazo.


Diagnóstico e Tratamento

Seu diagnóstico pode ser feito através da combinação de alguns exames do setor de análises de um laboratório clínico. A dosagem de vitamina B12 ou ácido metilmalônico e homocisteína, pois, a vitamina B12 decai em suas concentrações, enquanto os dois últimos analitos se encontram elevados em mais de 85% dos casos de anemia perniciosa. A reposição de vitaminas pode interferir na concentração sérica dessas substâncias, por isso recomenda-se que o exame seja realizado antes da tomada da primeira dose da reposição. É uma anemia de gravidade baixa/moderada, que pode ser controlado em até dois meses, com um tratamento baseado em dieta, reposição e medicação, que perdura por toda a vida, haja vista que a deficiência do fator intrínseco se estende por toda a vida, de forma permanente.


O papel do profissional analista clínico é combinar as informações oriunda dos exames clínicos com o histórico clínico do paciente, para chegar ao melhor diagnóstico, de forma completa e responsável.


Por Denilson de Araújo e Silva

Graduando em Biomedicina pelo Centro Universitário UNINOVAFAPI

Pós-Graduando em Microbiologia Clínica pelo Instituto GPI