Esquizofrenia e seus espectros são temas do módulo na Pós-Graduação em Psiquiatria

Ela também pode ser chamada de distúrbio da mente dividida, e é marcada por surtos em que o mundo real acaba substituído por delírios e alucinações. A esquizofrenia é um transtorno que afeta 2 milhões de brasileiros, mas a falta de conhecimento sobre ele só reforça estigmas.


O termo vem do final do século XIX, quando os cientistas foram buscar inspiração na língua grega arcaica para caracterizar um transtorno psiquiátrico que, até então, ficava jogado no limbo da loucura. Por meio da junção dos termos esquizo, “dividir” no idioma dos filósofos clássicos, e frenia, algo próximo de “mente”, eles deram um nome perfeito para a doença.


Durante o módulo sobre esquizofrenia na pós-graduação em psiquiatria do Instituto GPI, ocorrido no mês de junho de 2021, o professor Juarez Bessa, psiquiatra, abordou a esquizofrenia, transtornos delirantes persistentes, transtornos esquizoafetivos e outros transtornos psicóticos.


Foram dois dias de muito aprendizado e conhecimento compartilhado e, de acordo com o Dr. Juarez, os alunos saíram do módulo bem capacitados e aptos a encarar quaisquer desafios relacionados ao transtorno. Confira nosso bate-papo com o doutor Juarez ao fim do módulo:

Dr. Juarez Bessa professor da pós-graduação em psiquiatria do Instituto GPI


QUAL SUA AVALIAÇÃO DESTE MÓDULO E SUA APLICABILIDADE NA REALIDADE DOS ALUNOS?


A psiquiatria é uma área bem especializada, mas que atualmente está aumentando o interesse da classe médica. Anteriormente era vista como uma especialidade estigmatizada, mas estamos paulatinamente vencendo isso e temos passado isso para os nossos alunos.


Neste módulo, trabalhamos a esquizofrenia e seus espectros e verificamos cada um deles, a diferença de um para o outro para poder aplicar os melhores diagnósticos aos pacientes.

Os alunos estão saindo daqui com muito conteúdo visto e aplicado durante as nossas conversas. Eles viram cada detalhe da esquizofrenia e seus espectros e certamente


COMO TEM SIDO A INTERAÇÃO DOS ALUNOS DURANTE AS AULAS?


Todos eles têm participado e perguntado muito e, inclusive, eles têm trazido casos práticos das suas realidades e seu cotidiano.


Em nossas aulas, discutimos muito sobre cada caso e ouvimos bastante cada aluno e suas dúvidas. Todos aprendemos juntos e assim, a sociedade sai ganhando ao ter esses profissionais bem mais capacitados.


Então, foram dois dias de muitas discussões acerca da esquizofrenia e seus espectros, trabalhando de forma prática e certamente irão aplicar esses conhecimentos no seu dia a dia.


FORA DA SALA DE AULA, NOS CONSULTÓRIOS, COMO FOI RECEBER A PANDEMIA NA ROTINA DE ATENDIMENTO PARA OS PSIQUIATRAS?


Foi e tem sido desafiador. Até nós, profissionais da psiquiatria ficamos abalados com a pandemia.O que víamos antes apenas em livros, passamos vivenciar. A pandemia virou uma realidade, infelizmente, e assim sendo, a Covid-19 mexeu muito com a nossa forma de viver e ver a vida.


As pessoas passaram a ficar mais isoladas, perdendo o contato social e isso trouxe uma certa dificuldade para algumas pessoas que tinham o costume de sair, socializar e viver em grupo. Inegavelmente a vida das pessoas mudou de uma hora para a outra.

Nos consultórios, passamos a conciliar os casos de esquizofrenia e demais transtornos mentais com novos problemas decorridos do surgimento da pandemia.


ISSO REFORÇA A ATENÇÃO PARA OS CUIDADOS COM A SAÚDE MENTAL, CERTO?


Isso, esse cuidado deve ser redobrado. A pandemia inclusive possibilitou conflitos domésticos e comprometeu a qualidade de vida das pessoas, sem contar com os empregos que foram perdidos. Tivemos muitos pacientes com ansiedade devido a perca de emprego ou falência. Isso, conjugado com esquizofrenia, por exemplo. Geralmente os transtornos mentais aparecem em comorbidade, um conjunto de problemas que se apresentam ao mesmo tempo.

PROCURAR ATENDIMENTO E ACOMPANHAMENTO COM UM PSICÓLOGO OU PSIQUIATRA TORNOU-SE FUNDAMENTAL, ENTÃO, SOBRETUDO COM O SURGIMENTO DA COVID-19?


Com toda certeza. A pandemia ainda é algo novo e tudo isso mexe com a cabeça das pessoas e sua carga emocional, consequentemente a saúde mental dos indivíduos. É necessário o acompanhamento médico psiquiátrico para todos. Trata-se de uma questão de saúde global e prevenir é o melhor remédio. Todos devem se cuidar e cuidar dos outros também.


No vídeo abaixo, assista a entrevista na íntegra sobre "Esquizofrenia e seus espectros são temas do módulo na Pós-Graduação em Psiquiatria" Por Nehemias Lima - Jornalista.