Estimulação de colágeno e bioenvelhecimento: como prevenir o envelhecimento da pele

Olhou para sua pele hoje e não gostou do que viu? Rugas, marcas de expressão, sensação que seu rosto está “derretendo”, bochechas caídas (famoso buldogue), bigode chinês, rugas de marionete no canto da boca, perda de contorno facial? Isto está afetando a sua autoestima? Colágeno poderia se tornar a palavra do século, tendo em vista a crescente busca pela proteína fundamental para o tecido conjuntivo.


Bioestimulação de colágeno é um tratamento realizado com produtos que, como diz o nome, estimulam a produção do colágeno na sua pele. Essa proteína que ajuda potencialmente na matriz extracelular, tornando-se um grande responsável das propriedades físicas. Dividida em diversos tipos, ela busca manter as células unidas. A perda dessa proteína gesticula, na perda de beleza e saúde da pele, principalmente facial.


Para falar sobre o assunto, mais uma vez o GPI procurou a Biomédica Esteta Regiane Carvalho, Coordenadora da nossa Pós Graduação em Saúde Estética Avançada, que tem habilitação pelo Conselho Regional de Biomedicina - CRBM com diversos cursos na área, tais como: Toxina botulínica, preenchedores e fios de sustentação realizado em Monte Carlo, Mônaco; Aprimoramento em Aplicação de Toxina Botulínica do Tipo A básico ao avançado; Capacitação em Reabilitação Orofuncional com ênfase em Toxina Botulínica para fins estéticos. Ela também é responsável técnica na Clínica La Reggia. Confira o bate-papo:

Dra. Regiane Carvalho, coordenadora da Pós-graduação em Saúde Estética Avançada do Instituto GPI


A FLACIDEZ É UM PROCESSO NATURAL DE ENVELHECIMENTO DO SER HUMANO. MAS AS TECNOLOGIAS E FERRAMENTAS DA ESTÉTICA ESTÃO SUPERAVANÇADAS E TÊM NOS AJUDADO MUITO NISSO, NÉ? FALE UM POUCO SOBRE COMO ACONTECE A FLACIDEZ.


Com o passar dos anos, o nosso colágeno vai diminuindo. Mas, devo falar primeiro o que é o colágeno. Quando nascemos, a gente explode de colágeno, nossa face tem muito colágeno. Uma das funções do colágeno é a de sustentação da nossa pele. Essa produção cresce e continua até os 25 anos e depois começa a diminuir essa produção e começamos a envelhecer. No começo da vida, nossa pele é mais grossa e depois vai ficando mais fininha, como uma folha de papel. Assim é o processo de envelhecimento.


A gente começa inclusive a fazer movimentos musculares involuntários, a pele vai ficando flácida, bem fina e são formados os chamados pés de galinha, por exemplo, as linhas de expressões e rugas. A pele fica frouxa com o tempo. Ela é como um tear, cheia de fibras, todo entrelaçado e muito firme. Com o passar do tempo, o colágeno vai se degradando e esse “tecido” vai ficando frouxo.


E COMO ACONTECE A ATUAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS ESTÉTICOS NESSES CASOS?


Podemos fazer um banco de colágeno e prevenir esse processo de envelhecimento. Temos vários tipos de estimulação de colágeno, desde estimulação através de energia, calor, laser, até os injetáveis. Você pode realizar uma radiofrequência, uma luz intensa pulsada, que irão estimular o fibroblasto, célula responsável por produzir colágeno e elastina. Através do calor, você estimula essa célula e ela começa a ativar a produção, fazendo um banco de colágeno e trazendo firmeza ao tecido.


SÃO AS MESMAS ALTERNATIVAS PARA QUEM TEM MAIS IDADE?


A partir dos 35 anos ou 45 anos, por exemplo, quando a gente continua aumentando essa flacidez, eu consigo entrar com outros recursos estéticos, mesmo mantendo a radiofrequência e luz pulsada, mas também associar aos bioestimuladores de colágeno. A gente injeta por baixo da pele algumas substâncias para repor o colágeno e estimular o fibroblasto a produzir mais colágeno e elastina e dar mais sustentação e firmeza. Assim, acabamos prevenindo também a necessidade de procedimentos mais invasivos como lifting facial ou preenchimentos.


A SAÚDE ESTÉTICA TEM CONTRIBUÍDO BASTANTE PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE DAS PESSOAS. A PREVENÇÃO SEMPRE É O MELHOR CAMINHO, CERTO?


Sem dúvidas, hoje já vemos pessoas adolescentes e jovens de 20, 22 anos tendo um cuidado maior, de forma preventiva. Teremos uma geração com uma pele bem mais cuidada, por exemplo. Antes, não se falava tanto nisso e hoje todo mundo já cuida da pele e a nova geração está começando a se cuidar mais cedo e chegará lá na frente com menos necessidades de intervenções estéticas. Diminuir os danos causados pelo envelhecimento é a grande questão. Você vai cuidar a aprtir de agora para não mudar o que você é hoje.



QUANDO A PESSOA TEM 60 ANOS, POR EXEMPLO, E COMEÇA A CUIDAR DA PELE SÓ ENTÃO?


Se a pessoa não fizer nenhuma intervenção estética dos 30 aos 60 ela vai mudar, naturalmente. A nossa aparência muda ao longo do tempo, existe o amadurecimento da pele. Nesse caso, ela já mudou. A gente, nesses casos, visa a mudança sutil e elegante mas diminuímos linhas de expressão, rugas, fazemos recepcionamento do tecido. A pele continuará bonita.


AUTOCUIDADO É A PALAVRA, CONCORDA?


Sim, cuidar de si e da sua saúde. Se sentir bem e proporcionar esses momentos felizes para si é o que as pessoas devem priorizar. Quando a gente lha pra gente e se gosta, a gente se toca, se conhece e se reconhece. Isso é muito importante para a saúde física e mental também.


No vídeo abaixo, assista a entrevista na íntegra sobre "Estimulação de colágeno e bioenvelhecimento: como prevenir o envelhecimento da pele" Por Nehemias Lima - Jornalista.