Neoplasias Hematológicas são discutidas em módulo de pós no GPI

Entre os tipos de câncer, as neoplasias hematológicas são doenças que se expressam por alterações localizadas no sangue ou em tecidos formadores dele.


Durante o intervalo da aula da pós-graduação em Hematologia Laboratorial e Banco de Sangue com Ênfase em Citomorfologia, nossa equipe conversou com o professor ministrante do módulo de Neoplasias Hematológicas, Rodrigo Taminato, especialista em Patologia Clínica Geral (análises clínicas) pela Academia de Ciência e Tecnologia, Mestre em Farmacologia, Anestesiologia e Terapêutica pela FOP-Unicamp (Conceito 7 na CAPES).


Ele possui experiência nas áreas de Diagnóstico Laboratorial e Terapêutica Farmacológica principalmente: Farmacologia, Anestesiologia e Terapêutica, Patologia Clínica (Hematologia), Clínica Médica, Marketing Médico Científico, Departamento Comercial em Indústria Farmacêutica e Oncologia.


Sem dúvidas, um dos profissionais mais capacitados do Brasil para ministrar o módulo. Confira as dicas que ele deu durante a entrevista:

Dr. Rodrigo Taminato professor da Pós-Graduação em Hematologia Laboratorial

do Instituto GPI.


PROFESSOR, QUAL MATERIAL VOCÊ ESTÁ TRAZENDO PARA ESTE MÓDULO E COMO TEM SIDO ESSAS DISCUSSÕES NESTE FIM DE SEMANA?


Esta é uma sequência do módulo interior em que trago uma experiência que vivo há mais 20 anos trabalhando com a onco-hematologia, os cânceres de medula óssea, então se tratam de leucemias, linfomas, mielomas múltiplos, transplante de medula óssea, doenças com taxas de mortalidade alta, etc. São esses temas que estamos tratando durante este módulo.


COMO ESTÁ SENDO ESSA DIVISÃO DE TEMAS?


Abordamos a parte prática da clínica aplicada ao laboratório, dando ênfase à citomorfologias, alterações citomorfológicas tintoriais, pincelando um pouco da citogenética, da biologia molecular e tratamentos, porque o analista clínico hematologista que se torna especialista precisa ter essa expertise em desenvolver um bom laudo, pensando sempre no paciente que precisa de um detalhamento e de exames altamente especializados. Trazemos essa ponte entre a clínica, o paciente em si, os exames laboratoriais, um laudo bem descrito e bem feito para auxiliar no diagnóstico, no tratamento até que se atinja o objetivo final.


ESSES MOMENTOS EM SALA DE AULA SÃO FUNDAMENTAIS PARA QUE OS PROFISSIONAIS SE CAPACITEM CADA VEZ MAIS E PARA QUE HAJA UMA VERDADEIRA TROCA ENTRE AS EXPERIÊNCIAS DE VOCÊS, CERTO?


Com toda certeza. Isso inclusive me deixa muito satisfeito, pois todas as vezes que venho a Teresina e ao GPI, me deparo com profissionais engajados com a causa do desenvolvimento profissional. Quando decidimos por uma profissão, já nos debruçamos a ela e gastamos 80% da nossa energia atuando nela.


Os alunos aqui são muito engajados. A exigência que nos é dada para cobrar deles e trazer muita qualidade para as aulas é algo a se destacar. Todos os profissionais que se encontram aqui enquanto alunos são dedicados e engajados.


EM OUTRAS ÁREAS DA SAÚDE, CADA VEZ MAIS SE FAZ NECESSÁRIO QUE O PROFISSIONAL SE DESTAQUE NO MEIO DOS DEMAIS.

NA HEMATOLOGIA TAMBÉM FUNCIONA ASSIM?


De igual modo. A tecnologia da informação e o avanço da ciência faz com que o profissional precise estar atualizado e preparado para o mercado de trabalho. Para alguns é uma titulação, para outros é um momento para aproveitar e esperar a oportunidade de aparecer.


Muitas vagas que surgem nos concursos públicos ou área privada exigem especialização dos profissionais. Então todos devemos estar prontos e cheios de conhecimento para aplicar no mercado de trabalho.


O FUNIL ESTÁ CADA VEZ MAIOR EXIGINDO QUALIFICAÇÃO DESSES PROFISSIONAIS?


Sim, a competitividade também está acirrada. A exigência do mercado está aí, visto que temos ferramentas e instrumentos para desenvolver um bom trabalho em prol da saúde e qualidade de vida do paciente que iremos lidar diretamente ou indiretamente. É preciso estudar, fazer cursos livres, se especializar para poder se destacar no mercado.


Assista a entrevista na íntegra sobre "Neoplasias Hematológicas são discutidas em módulo de curso no GPI" Por Nehemias Lima - Jornalista.