O crescimento no setor da Estética no Brasil

Desde a antiguidade eram estabelecidos critérios de beleza a partir de

concepções culturais e sociais. Ao longo do tempo esses conceitos foram

evoluindo e modificando a mentalidade de que a juventude está associada a

pouca idade.


Hoje, sabe-se que a juventude está mais relacionada ao estado de espírito, a suas ações do que a idade. Despertando assim, um desejo de que a própria imagem acompanhe o seu interior, tornando-se jovem por muito mais tempo independentemente da idade. Desse modo, impulsionando a busca por procedimentos estéticos que proporcionem a jovialidade duradoura refletindo no corpo e mente trazendo resultados que elevem a autoestima e bem estar.


De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC), essa vaidade do brasileiro faz do Brasil o 4º (quarto) país no ranking mundial em consumo de produtos de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos (HPPC). Ainda de acordo com a associação que representa esse setor, o mercado da estética cresceu 567% no Brasil durante os últimos cinco anos, passando de 72 mil para mais de 480 mil profissionais.


Estima-se que o aumento dos números no setor de beleza, estética e cosméticos atinjam um crescimento de 14% para 2020, uma vez que a cada ano as pessoas se tornam mais dispostas a investir em procedimentos e produtos estéticos.


Com tudo isso fica evidente que o segmento de beleza e estética hoje é um dos mais promissores do país em qualquer época do ano, pois a procura por uma boa aparência e bem estar é contínua. Atualmente, percebe-se que o ato de cuidar do corpo deixou de ser considerado supérfluo e tornou-se uma questão de saúde, geração de empregos e rendas, além de elevar a autoestima.


Esse mercado da estética tem se expandido entre diferentes sexos e idade. Por muito tempo as mulheres dominaram a busca por esse tipo de serviço, no entanto, os homens estão cada vez mais vaidosos e procurando tratamentos estéticos, deixando de lado preconceitos e buscando se sentirem melhores consigo mesmos.


Nesse sentido, apesar dos períodos de crise, esse setor apresenta números positivos, podendo estar relacionado ao crescimento do estresse, às mudanças comportamentais e ao envelhecimento populacional fazendo com que ocorra um aumento de brasileiros em busca de cosméticos e procedimentos estéticos, o que pode render um bom negócio aos empreendedores.


Esse campo possui grande impacto na vida das pessoas, e os profissionais dessa área têm buscado há cada dia mais o aperfeiçoamento e novidades para os centros estéticos. É necessário que esses profissionais acompanhem as tendências e ofereçam serviços e produtos que atendam as expectativas dos seus consumidores, assim estimulando a indústria a encontrar soluções para a beleza e rejuvenescimento mais modernos. Apesar do crescimento nesse setor, não basta apenas abrir uma clínica e esperar os clientes, visto que há uma grande concorrência.


Diante disso, é preciso ter alguns diferenciais, como profissionais capacitados que transmitam confiança aos consumidores. Essas pessoas cada vez mais têm optado por

procedimentos que tragam conforto e resultados comprovados e ainda procuram por serviços que se sintam bem tratadas e cuidadas. O aperfeiçoamento técnico e o avanço tecnológico impulsionam e dão um novo ritmo ao mercado da beleza, priorizando cada vez mais a eficiência no atendimento. A era digital tornou-se uma aliada nesse segmento, uma vez que possui ferramentas importantes para facilitar a vida das pessoas.


Um exemplo são os agendamentos online que facilitam na captação e fidelização de

clientes, pois estes possuem livre acesso a websites ou aplicativos, onde torna possível reservar horários em empresas voltadas para a área de estética em todo Brasil. Um outro exemplo é a utilização de redes sociais para divulgação dos serviços prestados, assim aproximando clientes e empreendedores. Ao passo que esse setor estava crescendo, o mundo foi atingido por uma pandemia. Com a crise econômica ocasionada pelo novo coronavírus no Brasil, os setores de beleza e estética foram afetados e terão que conviver com o impacto desse vírus no futuro próximo.


Contudo, apesar do cenário crítico, sabe-se que é um mercado com capacidade de recuperação. Esse campo aposta na demanda reprimida provocada pelo isolamento social, uma vez que tornou-se difícil esses cuidados com o corpo. Tornando assim uma das prioridades quando houver o afrouxamento da quarentena, sendo importante

que esses negócios se reinventem para facilitar o crescimento pós-pandemia, buscando soluções alternativas para isso, como a utilização de redes sociais dando dicas e compartilhando pacotes de descontos para serem usados até final do ano de 2020.


Portanto, sabe-se que o brasileiro deixou de ter apenas os cuidados básicos com a imagem para investir em tratamentos completos de rosto e corpo, gerando assim uma demanda para um mercado ascendente em crescimento, concorrência e de procura por profissionais qualificados para este novo cliente, possibilitando ampliar serviços. Diante disso, fica evidente que destacar-se no mercado estético tendo diferenciais é fundamental para a sobrevivência nesse segmento.


A capacitação desse profissional é fundamental para oferecer segurança e confiança ao consumidor, trabalhando de forma ética e responsável, tornando essa prestação de serviço mais completa. Então, juntos, profissional e cliente podem trabalhar de forma sadia o ideal de beleza escolhido a partir de técnicas precisas para cada pessoa e suas

necessidades estéticas.


Escrito por

Ingredy Lopes dos Santos

Biomédica

Mestre em Farmacologia

Pós-Graduanda em Saúde Estética Avançada pelo Instituto GPI



Instituto GPI

MENU

Av. Elias João Tajra,

Nº 1717 - Jóquei,

Teresina - PI,

64049-305

© Copyright 2010 - 2020  Instituto GPI Ltda ME