Transtorno Bipolar: diagnóstico precoce faz toda a diferença

O transtorno bipolar é uma alteração mental grave em que a pessoa apresenta oscilações de humor que podem variar desde depressão, em que há profunda tristeza, até mania, em que há euforia extrema, ou hipomania, que é uma versão mais leve da mania.


Este transtorno, também chamado de doença bipolar ou doença maníaco-depressiva, afeta tanto homens como mulheres e pode começar no final da adolescência ou no início da idade adulta, precisando de tratamento para toda a vida.


Quanto antes o diagnóstico for realizado, melhores são as chances de o tratamento ser eficaz. Vale destacar que nem toda mudança de humor significa que existe um transtorno bipolar. Para que a doença seja identificada, é necessário fazer uma avaliação com o psiquiatra ou psicólogo, para detectar como a pessoa vivencia as fases e como interferem no seu dia a dia.


Sobre esse assunto, conversamos com o doutor Juarez Bessa, médico psiquiatra, especialista em Psiquiatria e Psiquiatria Forense pela Associação Brasileira de Psiquiatria – ABP e professor da Pós-Graduação em Psiquiatria do Instituto GPI. Confira:

Dr. Juarez Bessa, Professor da Pós-graduação em Psiquiatria do Instituto GPI


COMO TEM SIDO ESSE MÓDULO SOBRE TRANSTORNOS BIPOLARES, QUAIS TÊM SIDO OS TEMAS ABORDADOS AQUI?


As pessoas acordaram para a importância da saúde mental e a psiquiatria realmente faz parte da vida de todas as pessoas. Tem aumentado casos de ansiedade e depressão em todo o mundo. Então, discutir a saúde mental e doenças como o transtorno bipolar se faz cada vez mais necessário.


O módulo tem sido incrível e inclusive fico muito feliz vendo os colegas aqui interessados em saúde mental. Quando se fala em espectro bipolar, também falamos em quadros depressivos, trazendo as diferenças, é claro. Trazemos os sintomas, os sinais e tratamentos. Esse módulo tem sido bem produtivo.


COMO TEM SIDO A COLABORAÇÃO E PARTICIPAÇÃO DOS ALUNOS?


Tem sido incrível, eles participam muito, trazem casos clínicos e compartilham tudo entre si e conosco que estamos aqui enquanto professor. São verdadeiros momentos de partilha de conhecimento. Todos juntos, estudando sobre saúde mental e debatendo os temas.


DEVEMOS RESSALTAR A IMPORTÂNCIA DAS FAMÍLIAS E AMIGOS SEMPRE PROCURAREM PROFISSIONAIS ADEQUADOS PARA TRATAR QUAISQUER SUSPEITAS D E TRANSTORNOS PSIQUIÁTRICOS, NÃO É ISSO?


Sim, o quanto antes o diagnóstico acontecer, o tratamento irá ser mais eficaz e facilitará o processo. Os transtornos que fazem parte do espectro bipolar trazem prejuízos sociais, pessoais, familiares e ocupacionais. Não é toa que a depressão é a doença que mais incapacita e causa perda de vida ativa e econômica, tendo em vista, inclusive, o cenário de pandemia que estamos vivendo.


Então as pessoas devem sim procurar especialistas e devem deixar de achar que psiquiatra “é coisa de doido”. Esse estigma já vem sendo vencido e precisamos trabalhar ainda mais para que ele acabe.


PARA ISSO, DISCUSSÕES E DEBATES DEVEM SER MAIS PRESENTES SOBRE A DOENÇA, NÃO É ISSO?


Sim, exatamente. Aqui, a sala de aula torna-se um desses espaços. Existe uma troca de experiências entre os colegas profissionais que se encontram nessas salas de aula para que isso aconteça. Todos nós, juntos, psiquiatras e sociedade, temos trabalhado em esforço único para que as pessoas cada vez mais entendam a necessidade de se cuidar da saúde mental. A saúde mental faz parte da vida humana como qualquer outro aspecto da vida moderna e seus desafios.


ESTUDAR SEMPRE, EM QUALQUER ÁREA, É FUNDAMENTAL, PRINCIPALMENTE NA MEDICINA. É PRECISO QUE O PROFISSIONAL ESTEJA PREPARADO PARA QUALQUER OCASIÃO. CONCORDA?


Sim, sem dúvidas. A pandemia, por exemplo, foi algo totalmente novo. Uma situação difícil que a humanidade teve de passar e se acostumar de uma hora para outra. No início da pandemia, muitas pessoas sofreram com problemas de saúde mental, a gente percebeu isso em consultório. Então, o profissional tem que estar sempre se especializando para poder saber agir em situações como essa, por exemplo.


Ao nos depararmos com um momento de pandemia, isolamento social, atipicidade no modo de viver, nós psiquiatras temos que estar aptos a atender os pacientes da melhor maneira possível.


AINDA SOBRE O TRANSTORNO BIPOLAR, É COMUM QUE A DOENÇA APAREÇA RELACIONADA COM OUTRAS?


Sim, inclusive alguns sintomas da bipolaridade são semelhantes a outras doenças, o que pode tornar difícil para um médico realizar um diagnóstico. Além disso, muitas pessoas têm transtorno bipolar juntamente com outra doença, como transtorno de ansiedade, abuso de substâncias, ou um transtorno alimentar. Pessoas bipolares também estão em maior risco de doença da tireóide, dores de cabeça de enxaqueca, doenças cardíacas, diabetes, obesidade e outras doenças físicas.


No vídeo abaixo, assista a entrevista na íntegra sobre "Transtorno Bipolar: diagnóstico precoce faz toda a diferença" Por Nehemias Lima - Jornalista.